Um Estudo Empírico para Validar o uso de Diretrizes Ontológicas do Modelos em i*

Nome: Ramilton Costa Gomes Júnior
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/08/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Renata Silva Souza Guizzardi Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Claudia Cappelli Aló Examinador Externo
Monalessa Perini Barcellos Examinador Interno
Renata Silva Souza Guizzardi Orientador

Resumo: O framework i* é uma linguagem dedicada à Engenharia de Requisitos. Hoje, a comunidade que desenvolve i* é relativamente grande e esses desenvolvedores, que estão geograficamente dispersos, tendem a atribuir diferentes significados para suas construções. Argumenta-se que essa flexibilidade é parte da própria natureza do framework, e de fato pode ser considerada uma de suas características-chave de sucesso. Mas, por outro lado, é nossa convicção de que isso representa uma barreira em termos de promoção do framework, criando sérios problemas, tais como: a) dificuldade na comunicação eficiente de conhecimento entre os especialistas da comunidade; b) aumento da curva de aprendizado dos recém-chegados; e c) inibição da adoção do framework por profissionais da indústria. Nos últimos anos, a comunidade tornou-se ciente do problema e várias tentativas foram feitas para facilitar o acesso e uso uniforme da linguagem i*. Apesar de reconhecer que há resultados significativos nessa direção, essas tentativas não são bem sucedida na resolução dos problemas mencionados anteriormente, simplesmente porque as abordagens propostas são puramente sintáticas, sem dar atenção à semântica dos conceitos da linguagem. Indo além de questões sintáticas, desde 2006, pesquisadores estão envolvidos em uma tentativa de definir uma ontologia comum, com o objetivo de fornecer a semântica para os principais conceitos da linguagem i*. Com isso, é possível propor uma série de diretrizes de modelagens, aqui chamadas diretrizes ontológicas, que apoiam o modelador no uso dos construtos da linguagem. Nesta dissertação, apresentamos um estudo empírico para validar as diretrizes ontológicas. Para isso, propõe-se um experimento em um ambiente controlado no qual se comparam modelos preenchidos por dois grupos: um utilizando as diretrizes ontológicas, e outro sem qualquer conhecimento de tais diretrizes. Resultados demonstram que, para modeladores mais experientes, as diretrizes efetivamente representam um ganho, provendo modelos de maior qualidade. Já para modeladores iniciantes, os resultados não se mostram igualmente promissores.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910