Notação Visual para Representação de Linguagens de Padrões Ontológicos

Nome: Glaice Kelly da Silva Quirino Monfardini
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/03/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Monalessa Perini Barcellos Orientador
Ricardo de Almeida Falbo Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Luiza Machado Campos Examinador Externo
Monalessa Perini Barcellos Orientador
Renata Silva Souza Guizzardi Examinador Interno
Ricardo de Almeida Falbo Coorientador

Resumo: Embora, atualmente, engenheiros de ontologias possam contar com vários métodos e ferramentas de apoio à engenharia de ontologias, o desenvolvimento de ontologias ainda não é uma tarefa fácil, mesmo para
especialistas. Nesse contexto, reúso tem sido apontado como uma abordagem promissora para a engenharia de ontologias. Reutilização em ontologias permite acelerar o processo de desenvolvimento, além de melhorar a qualidade das ontologias resultantes, uma vez que promove a aplicação de boas práticas. O uso de padrões como abordagem para favorecer o reúso tem sido bastante explorado em Engenharia de Software, no entanto, o tema é consideravelmente recente em Engenharia de Ontologias. Um padrão (pattern) pode ser definido como uma solução bem-sucedida para um problema recorrente. Assim, padrões ontológicos (PO) apresentam soluções para problemas recorrentes de modelagem. Tipicamente, POs são disponibilizados em catálogos, porém essa abordagem não favorece reúso, uma vez que em um catálogo convencional perde-se o senso de conexão entre os POs. Padrões podem ser organizados em uma Linguagem de Padrões (LP), que representa os padrões e suas relações em uma rede e define um processo para seleção e utilização dos padrões para resolução sistemática de problemas. Nesse sentido, Linguagem de Padrões Ontológicos (LPO) fornecem, além dos padrões, diretrizes
para sua seleção, incluindo a sequência em que podem ser usados, as variações existentes e os caminhos possíveis, entre outros.
Para facilitar o uso de uma LPO, o processo e as relações entre os padrões devem ser representados de forma clara, não ambígua e completa. Notações visuais podem ser utilizadas para prover uma representação visual da LPO e são um importante meio de comunicação entre stakeholders, uma vez que se acredita que elas transmitam informações de forma mais eficaz do que texto. Para facilitar o entendimento e potencializar o uso
de uma LPO, sua notação visual deve ser cognitivamente rica.
Este trabalho propõe uma notação visual para representação de LPOs. Como bases para a proposta,
foram utilizados os resultados de um mapeamento sistemático que investigou notações visuais em Linguagens
de Padrões de Software e resultados de um estudo experimental em que se avaliou uma notação utilizada para
representar LPOs. Buscando-se obter uma notação cognitivamente rica, os princípios de PoN (Physics of Notation) foram considerados no desenvolvimento da notação. Como prova de conceito, a notação visual proposta foi utilizada na reengenharia de LPO.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910