Vestibulandos - Engenharia de Computação ou Ciência da Computação?

Quais as principais diferenças entre "Engenharia de Computação" e "Ciência da Computação"?

 

O Centro Tecnológico da UFES (Campus Goiabeiras) possui dois cursos na área de Computação: Engenharia de Computação e Ciência da Computação. Muitos jovens não sabem como distinguir esses dois cursos, então vamos apresentar aqui algumas diferenças principais.

A Ciência da Computação estuda as técnicas, métodos e ferramentas computacionais para automatizar processos e desenvolver soluções baseadas no uso do processamento digital. Em outras palavras, o curso foca no conhecimento necessário para o desenvolvimento de sistemas que podem ser usados nas mais diversas áreas, tais como engenharias, administração, medicina, economia, educação, indústria, entretenimento etc. Ao contrário do que muitos pensam, embora o foco do curso de Ciência da Computação seja desenvolvimento de software, o mesmo não se resume à programação. Na verdade, uma gama bem maior de conhecimentos é necessária, relacionados às áreas de gerenciamento de projetos, especificação, modelagem, testes e avaliação de sistemas. Além disso, outros aspectos tecnológicos também são abordados no curso, tais como: redes de computadores, comunicação de dados, bancos de dados, computação gráfica, inteligência artificial, entre outros. Em suma, o curso Ciência da Computação estuda, de forma profunda e abrangente, o desenvolvimento e gerência de sistemas, suas aplicações e tecnologias relacionadas.

Técnica de programação de computadores conhecida como "Pair Programming"

A Engenharia de Computação estuda as técnicas, métodos e ferramentas matématicas, fisicas e computacionais para o desenvolvimento de circuitos, dispositivos e sistemas para desenvolvimento de soluções baseadas nas aréas elétrica e digital. O curso foca no estudo integrando as áreas de Engenharia Elétrica (hardware) e Ciência da Computção (software), também dando base para as áreas de gerenciamento de projetos, modelagem, desenvolvimento e avaliação de sistemas. Além disso o Engenheiro de Computação aborda os mais diversos aspectos tecnológicos, tais como: redes de computadores, comunicação de dados, bancos de dados, computação gráfica, sistemas digitais, circuitos elétricos, robótica e automação, entre outros. Em geral, o curso de Engenharia de Computação estuda, de forma profunda e abrangente, o desenvolvimento e gerência de sistemas digitais e elétricos, suas aplicações e tecnologias relacionadas.

Espaço 3D com controle integrado de robôs

Em resumo: Tanto Ciência da Computação quanto Engenharia de Computação têm a matemática e a computação como seus principais pilares. Porém, na Ciência da Computação foca-se no desenvolvimento de soluções por meio de sistemas de software, enquanto que na Engenharia de Computação foca-se no desenvolvimento de soluções que envolvem aspectos tanto relacionados à elétrica/eletrônica quanto ao software. Assim, se você gosta de computação, mas tem dificuldades ou não tem muita afinidade com elétrica/eletrônica, provavelmente vai se dar melhor na Ciência da Computação. Mas, se você gosta muito de computação e tem afinidade com elétrica/eletrônica, provavelmente vai se identificar melhor com a Engenharia de Computação.

 

Perfil do Engenheiro de Computação

A Engenharia de Computação tem como objetivo a aplicação da Informática e o uso das tecnologias de computação na solução de problemas de Engenharia. Destina-se à formação de profissionais capazes de atuar principalmente em áreas em que existe uma forte integração entre software e hardware, como automação industrial e residencial, arquitetura de computadores, sistemas embarcados, robótica, sistemas paralelos e distribuídos, comunicação de dados (redes de computadores) e processamento digital de sinais.
 
Em comparação com outros profissionais de Computação e Informática, o Engenheiro de Computação é mais direcionado a sistemas em que os computadores não são os únicos agentes que influenciam o meio. O tipo de informação principal dos demais profissionais de Computação e Informática são os dados, grandezas geradas, processadas e utilizadas por computadores. Já o Engenheiro de Computação raciocina também em termos de sinais, informações geradas externamente e/ou produzidas para atuar sobre o meio externo. Para tanto, a formação em Engenharia de Computação deve propiciar aos seus alunos: 

  • Uma boa formação básica nos fundamentos científicos relevantes das Ciências Exatas e Naturais, principalmente na Matemática, e nos conhecimentos tradicionais associados à formação básica em Engenharia e Computação;
  • Uma formação profissionalizante nos aspectos ligados à arquitetura dos sistemas computacionais em relação aos seus componentes físicos, lógicos e às aplicações da Computação em vários problemas de Engenharia;
  • Uma formação profissionalizante geral que envolve os conteúdos fundamentais da Computação e alguns aspectos da Eletrônica e Eletricidade.

Especificamente no caso do Engenheiro de Computação, que se pretende formar na Ufes, a formação tradicional pode ser complementada por meio de disciplinas optativas em áreas como Sistemas Embarcados, Sistemas e Controle Inteligentes, Engenharia da Informação.

Programação de um sistema embarcado em um robô móvel

Com essa formação, o perfil profissional do Engenheiro de Computação é o de um profissional apto a criar, especificar, conceber, desenvolver, adaptar, produzir, instalar e manter sistemas computacionais, bem como perfazer a integração dos recursos físicos e lógicos necessários ao atendimento das necessidades computacionais de organizações em geral.  
 

Perfil do Bacharel em Ciência da Computação

O curso de Ciência da Computação busca formar profissionais habilitados a especificar, projetar, implantar e avaliar sistemas computacionais voltados para a solução de problemas de natureza diversificada. Assim, o bacharel em Ciência da Computação está apto a resolver problemas a partir de sistemas computacionais em qualquer que seja a área do conhecimento humano.

O bacharel em Ciência da Computação pode desenvolver sistemas diversos (por exemplo, sistemas de controle de estoque, jogos, sistemas de comércio eletrônico, sistemas computacionais de apoio à busca e extração eficiente de petróleo, aplicativos para celulares e outros dispositivos móveis etc.) e pode, inclusive, construir sistemas, ferramentas e frameworks para facilitar a própria construção de novos sistemas (ou seja, desenvolver sistemas para a própria área de computação, tais como sistemas de gerenciamento de redes de computadores e sistemas de apoio ao desenvolvimento de software).

Para que o bacharel em Ciência da Computação esteja apto a realizar essas atividades, o curso de Ciência da Computação busca desenvolver a capacidade de resolução de problemas complexos e fornecer ao aluno o embasamento teórico necessário para: (i) definir os conceitos fundamentais de computação e colocá-los em prática; (ii) desenvolver algoritmos, métodos, ferramentas e sistemas computacionais; e (iii) resolver eficientemente problemas em ambientes computacionais.

Ao longo do curso, o aluno do curso Ciência da Computação cursa diversas disciplinas relacionadas à matemática e computação que requerem estudo e dedicação. Dessa forma, algumas características que se espera de um ingressante do curso Ciência da Computação são: concentração, paciência, dedicação, persistência, raciocínio lógico e capacidade de síntese e análise. Além disso, o aluno deve estar disposto a estar constantemente estudando assuntos novos e complexos.

Mercado de Trabalho

O Engenheiro de Computação e o Bacharel em Ciência da Computação possuem um conjunto comum de conhecimentos que permitem que os mesmos atuem nas áreas envolvidas no desenvolvimento, análise e aperfeiçoamento de software (programas de computador) para os mais variados fins. Além disso, quem se forma em Engenharia de Computação se torna apto a projetar e a implementar tecnologias de hardware e software em equipamentos, aplicações industriais, redes de computadores e de comunicação, sistemas embarcados em dispositivos dos mais variados portes, redes de sensores, entre outros. Profissionais da área também podem seguir carreira em desenvolvimento, principalmente no Brasil, que tem a "cultura" de trabalhar mais com desenvolvimento de software do que em tecnologias de hardware.

Implantação e configuração de servidores e da rede em um Data Center

Já o Bacharel em Ciência da Computação trabalha, fundamentalmente, na elaboração de programas de informática. Ele analisa as necessidades dos usuários, desenvolve softwares e aplicativos, gerencia equipes de criação e instala sistemas de computação. Ele cria ferramentas diversas da informática, dos softwares mais básicos, como os usados para controle de estoques, até os mais complexos sistemas de processamento de informações. Profissional essencial a todos os setores da economia, também provê assistência aos usuários, mantém redes de computadores em funcionamento e assegura as conexões com a internet. Em indústrias e institutos de pesquisa, implanta bancos de dados, desenvolve software para apoiar a extração de petróleo, monitoramento da poluição do ar, dos rios e oceanos, controle do tráfico nas grandes cidades e instala sistemas de segurança para as operações de compra e venda pela rede.

Infraestrutura

Os dois cursos são oferecidos no Centro Tecnológico da Ufes. No caso da Ciência da Computação, os alunos fazem uso da infraestrutura do Departamento de Informática (DI). Já no caso da Engenharia de Computação, além do Departamento de Informática, os alunos também fazem uso da infraestrutura do Departamento de Engenharia Elétrica (DEL).

As salas de aula, tanto no DI quanto no DEL, contam com toda a infraestrutura básica (como ar-condicionado, quadro branco, projetores multimídia). Além disso, no DI temos dois laboratórios de informática de uso exclusivo dos alunos, além de 9 laboratórios temáticos em que são desenvolvidos projetos de pesquisa e desenvolvimento (em computação de alto desempenho, redes de computadores, engenharia de software, robótica, etc.). Além disso, no DEL contamos com mais de 10 laboratórios temáticos também em diferentes áreas (automação, telecomunicações, controle, etc.). Nessa página  vocês podem visualizar algumas fotos da infraestrutura do CT-9, prédio onde se localizam a maioria das salas de aula e laboratórios do Departamento de Informática.

     

Laboratórios dos Departamentos de Informática e Eng. Elétrica

Atividades Extra-Curriculares

Ao entrar nos cursos de Engenharia ou Ciência da Computação, o aluno terá a oportunidade de vivenciar uma vida acadêmica completa podendo desenvolver diferentes atividades extra-curriculares. Os alunos dos dois cursos podem participar do:

  • Suporte: a equipe do Suporte é responsável pela gerência da rede do Departamento de Informática, bem como da manutenção dos servidores da mesma, e dos laboratórios de graduação;
  • NTI: o Núcleo de Tecnologia da Informação é o órgão suplementar da Ufes responsável por prestar serviços de Tecnologia da Informação;
  • NCD: o Núcleo de Cidadania Digital é um Programa de Extensão da Ufes que oferece produtos e serviços gratuitos para a comunidade a fim de promover a inclusão digital e estimular o exercício da cidadania por meio do acesso democráticoe a ferramentas tecnológicas;
  • Iniciação Científica: o aluno pode  se candidatar a bolsas de Iniciação Científica para desenvolver atividades de pesquisas inseridas em grupos de pesquisa da Informática ou da Engenharia Elétrica. São bolsas com duração de 1 ano, mas que podem ser renovadas em casos específicos. Neste link você pode conferir alguns do laboratórios que abrigam essas pesquisas.

    

Exemplos de Projetos de Pesquisa

Além disso, no caso específico do aluno da Engenharia de Computação, ele pode participar do Programa de Educação Tutorial - PET. O Programa possui 12 bolsas para os alunos desenvolverem diferentes atividades de pesquisa, ensino e extensão, no contexto de projetos como o Introcomp, Equipe de Robótica da UFES (ERUS), Torneio de Programação de Computadores, etc. Confira mais informações sobre o PET Eng. de Computação no site do grupo.

Laboratório do PET Eng. de Computação

Também existem vários Projetos de Extensão que envolvem direta ou indiretamente alunos da Engenharia e Ciência da Computação. O objetivo desses projetos é promover atividades complementares de forma a desenvolver nos alunos conhecimentos e habilidades que não são normalmente abordados nas disciplinas dos dois cursos. Alguns exemplos são o Vitória Baja, ERUS, as "Jornadas de Atualização em Computação, Elétrica e Eletrônica" e o Torneio de Programação da Ufes (Topcom), e o Torneio de Robótica da UFES (TRUFES). Nessa página você encontra a descrição de alguns desses projetos.

     

Projetos de Extensão (da esquerda para direita): Laboratório da ERUS, TRUFES, Topcom e Vitória Baja

Transparência Pública
Acesso à informação
Reuni

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910